Beijar os filhos na boca

naom_54f041ea2c04e

O carinho entre pais e filhos é algo natural e positivo. Nascemos geneticamente programados para gostar dos nossos pais e, posteriormente, dos nossos filhos. Mas às vezes este não mede limites, nomeadamente na forma em que é demonstrado, o que pode trazer consequências para o bem-estar físico e psicológico das crianças. Continuar a ler

Aprendendo com a mãe macaca

175376538

As macacas costumam ser excelentes cuidadoras. Protegem as crias do frio, das ameaças e dos perigos, cuidam da sua alimentação. Mas isto até uma certa idade. Após a cria crescer e desenvolver-se e considerarem que a mesma já se encontra preparada para enfrentar o dia-a-dia, deixam-na seguir o seu rumo livremente. Continuar a ler

Mais amor e menos presentes

separando-brinquedos-2A sociedade atual imprime um ritmo estonteante que afeta a realidade quotidiana de muitas famílias. O tempo é um recurso escasso e nem sempre os pais conseguem dispor do tempo necessário para partilhar com os seus filhos.

Acontece, no entanto, que cada vez mais assistimos a uma tentativa de trocar o amor, o verdadeiro prazer da companhia e dos afetos, por presentes, bens materiais, na esperança de poder assim “compensar” esta ausência/insuficiência. Mas de que serve ter o último modelo de consola de jogos, se não há o mais importante? Continuar a ler

Os meninos não brincam com bonecas?

06313095800Crescemos habituados a ouvir frases como “os meninos não brincam com bonecas” ou “os carrinhos são para os meninos brincarem”. Mas será mesmo assim? O que está por detrás destas afirmações e qual o seu aporte teórico?

Para começar, há que reconhecer que muitos dos brinquedos atuais servem mais os interesses do mercado de consumo do que as reais necessidades da criança. Por outro lado a escolha desses mesmos brinquedos surge frequentemente mais influenciada pelos pais ou por estereótipos socioculturais do que pelos verdadeiros desejos da criança. Tal pode ser facilmente visível nas ideias com que iniciei este tópico. Continuar a ler