Será a culpa (sempre) das mães?

sentimento-de-culpa

É amplamente conhecida a velha ideia psicanalítica segundo a qual, as mães, enquanto principais cuidadoras/educadoras dos seus filhos(a), são as principais “culpadas” dos problemas psicológicos das crianças. Sabemos que, na sua generalidade, a maior parte dos problemas psicológicos decorre de relacionamentos interpessoais disfuncionais. Mas será que é mesmo assim? Serão as mães (ou o seu substituto) as principais culpadas? Continuar a ler

Acting: Patologia do Agir

agressividade-1

Na patologia do agir, o sujeito em vez de pensar as coisas colocam-nas em ato: ora no exterior, através de comportamentos (acting out) oura no próprio corpo (acting in). Segundo Bion, autor conceituado nesta temática, é quando a criança percebe que o objeto materno não é capaz de tipificar ou nomear que a criança passa à ação. Por detrás do acting estão muitas vezes perdas muito precoces – em geral no segundo ano de vida. Continuar a ler

O Normal e o Patológico

psicopatologia-mecanismos-de-defesa-e-resistencia

Nos dias que correm é vulgar ouvirmos falar em normal e anormal: É normal que, quando está com gripe, a pessoa tenha febre; é normal que as raparigas se vistam de cor-de-rosa; é normal que os rapazes gostem de futebol… aquela pessoa está a coxear – é anormal –, o vizinho de cima está sempre a falar do mesmo – é anormal. Mas no fundo o que é isto de normal e anormal? Qual é o contrário de normal? Patológico? Continuar a ler

A Morte e o Luto

54f6ff9512e9e4-05397443Ao nascermos todos ficamos sujeitos a uma mesma limitação: a morte. Apesar de nos ser a todos familiar – quer pela experiência próxima do falecimento de familiares quer de amigos ou mesmo desconhecidos – o tema da morte e do luto é um dos mais difíceis de abordar, causando um sofrimento terrível.

Continuar a ler

Stresse e Exercício Físico

pu-form-font-b-ball-b-font-basketball-five-size-toys-for-kids-font-b-stressPraticamente todos os dias ouvimos falar de Stresse e dos seus efeitos negativos na nossa saúde e bem estar. Todos os anos, os médicos prescrevem milhões de antidepressivos, tranquilizantes e hipnóticos que resolvem apenas parte do problema. Mas ao contrário do que se pensa, o stresse não merece uma visão tão negativa, já que sem ele, provavelmente nem nos conseguiríamos levantar ou realizar as tarefas do nosso dia-a-dia.

Continuar a ler

O que é a Depressão?

depressao

A depressão é uma realidade que afeta cada vez mais a população (Vallejo-Nágera, 2002; Widlöcher, 1995). A maioria das famílias as nossa sociedade já contactou, contacta ou virá a contactar com um ou mais casos de pessoas deprimidas. Sendo assim, o que será que as pessoas pensam sobre a depressão? Para o estudo conceção de depressão, parece possível destacar três dimensões: Conceptual – relacionada com o conceito – Causal – etiologia/causas da depressão – e  Procedimental – procedimentos a adotar face à depressão. Continuar a ler

Anorexia

anorexiaCom as exigências estéticas da sociedade actual e um ideal de beleza que não permite qualquer excesso de peso, as pessoas vêm-se, por vezes, em caminhos menos corretos que acabam por leva-las a graves problemas de saúde que passam, em primeiro lugar, por perturbações da esfera oro-alimentar. Se a beleza não tem idade, acontece que é essencialmente no período da adolescência, com todas as suas transformações físicas e psicológicas que a acompanham, que assume um preocupação mais acentuada.

Continuar a ler

Os Sonhos

pesadelos-sonhos-doencas300415

Os pesadelos, apesar de como todos sabemos, não serem nada agradáveis, fazem parte do sono e cumprem uma função muito importante que é a de nos permitir regular a ansiedade e continuar, de alguma forma, a dormir. Os pesadelos são uma consequência da ansiedade e não a causa da ansiedade que frequentemente sentimos ao acordar. Os pesadelos não nos levam a perder a consciência, nem a fazer alguma asneira, como nos relata, mas o mesmo já não se pode dizer da ansiedade. Assim, creio que o cerne do seu problema se encontra na ansiedade – que reconhece advir da situação de saúde que o atormentou – e não no sono ou nos pesadelos. Logo que conseguir compreender e lidar melhor com esta ansiedade, os sintomas tenderão a desaparecer e o sono será certamente mais tranquilo e aprazível.

Continuar a ler

A Mentira

mentirapinoquiojpg_thumbA mentira é tão frequentemente utilizada que o seu sentido ultimamente parece tender a ser banalizado. Segundo as estatísticas (citadas por Roque Teophilo), mentimos cerca de 200 vezes por dia e em média uma vez por cada 5 minutos.

 Começando pelos falsos elogios – p.ex, essa saia fica-te mesmo bem -, passando pelas desculpas “esfarrapadas” – p.ex., não pude fazer os trabalhos de casa porque faltou a luz – ou pelas mentiras descaradas, chegam mesmo existir casos em que os pais, que parecem tão preocupados quando os filhos mentem, os incitam a mentir – p.ex. quando lhes pedem para dizer que eles não estão em casa.

Continuar a ler

Dislexia: Dificuldades na Leitura

dislexia

“Não sei como é que aprendi a ler; só me lembro das minhas primeiras leituras”

Rousseau

O que é a dislexia? Será uma doença? Nasce-se com ela, ou deve-se ao meio circundante? Existe uma diferença entre disléxicos e maus leitores? Existem diferentes tipos de dislexia? O que se pode fazer por estas pessoas?

  Continuar a ler