Separe factos de opiniões

facts-3

No dia-a-dia deparamo-nos com algumas realidades que, independentemente da nossa vontade ou opinião, são inegáveis. A estas realidades chamamos factos. Por outro lado, muitos outros aspetos não constituem dogmas mas sim opiniões, que poderão variar consoante o interlocutor.

Apesar desta explicação parecer clara (ou até mesmo desnecessária) não poucas vezes confundimos factos e opiniões. Atribuímos a opiniões a certeza dos factos e a alguns factos o caracter dúbio das opiniões.

Lembre-se: Uma coisa é o que pensa (ou o que outros pensam) e outra é a realidade. Independentemente do que fizer, haverá sempre quem pense bem e mal de si. Aprenda a viver com isso e não confunda factos com meras opiniões (tantas vezes emitidas deliberadamente para o desencorajar ou perturbar).

Jovens que não estudam nem trabalham vão receber 700 euros mensais de subsídios estatais

570891-pngDe acordo com o Jornal I, os jovens que não estudam nem trabalham vão receber 700 euros mensais de subsídios estatais. Trata-se de uma iniciativa que tem como objetivo apoiar o empreendedorismo, destinada principalmente a jovens entre 18 e 29 anos. Chama-se “Empreende Já” e as candidaturas podem ser feitas até dia 6 do próximo mês. O programa inclui ainda um apoio de 10 mil euros para quem quiser iniciar um negócio próprio. Continuar a ler

Uma questão de atitude

b9721bf7ea4d7e8552e585903171abd1Um ilustre mestre, na China antiga, solicita a um dos seus discípulos, a entrega de um documento importante numa aldeia longínqua. Acatando as ordens do seu mestre, o discípulo coloca-se a caminho, deparando-se, no entanto, com um samurai destemido que o desafia para um combate. Não dominando a prática do sabre, as suas hipóteses eram nulas, mas a honra impedia-o de rejeitar o desafio. Continuar a ler

Quem ama sofre… Mas quem não ama sofre mais!

amar-e-1280x720

Quem está preparado para amar deve estar preparado para sofrer. Amor e sofrimento são sentimentos que andam, muitas vezes, de mão dada. Este facto leva, frequentemente à opção de não amar, pensando-se que possa ser um caminho mais tranquilo. A questão é que se quem ama sofre algumas vezes, quem não ama está em contínuo sofrimento.

Portanto, a questão parece não estar tanto no “to love or not to love” (amar ou não amar) mas mais em quem (ou o quê) amar. Boas escolhas (ainda que nem sempre se saiba muito bem o que isso possa significar na prática) parecem ser o ingrediente chave para o equilíbrio e bem estar que consubstancia a saúde psicológica.

Adapte-se como os pneus do seu automóvel!

car_tiresConta-se que os primeiros pneus da indústria automóvel eram muito resistentes mas pouco maleáveis. Haviam sido produzidos para durar, mas rapidamente se gastavam porque, dada a sua rigidez, apresentavam grande dificuldade em adaptar-se ao piso. Rapidamente a indústria teve de mudar, passando a produzir pneus com maior elasticidade, mais moldáveis. Continuar a ler

Vendas de ritalina duplicaram em sete anos!

bebe-hiperativoSegundo os órgãos de comunicação social, as vendas do medicamento habitualmente utilizado para tratar perturbações de hiperatividade e défice de atenção (PHDA), o metilfenidato, cuja designação comercial é ritalina, duplicaram entre 2010 e 2016: em 2010 venderam-se 133 mil embalagens daquele que é conhecido como “comprimido da inteligência”, porque ajuda as crianças a concentrarem-se e a melhorarem os seus resultados escolares. Um número que mais que duplicou em 2016, quando as vendas rondaram as 270 mil embalagens. Continuar a ler

Que importância dá à opinião dos outros?

conto_velho-rapaz-burro_yes2-a-pe

Todos nós já fomos alvo de opinião favorável ou desfavorável da sociedade. A questão é: Quão importante para si é a opinião dos outros? Não tem importância nenhuma? Cuidado, às vezes há comentários importantes (como se costuma dizer, “quem te avisa teu amigo é” – na realidade nem sempre, depende do aviso, mas é o que o ditado popular diz). Dá demasiada importância? Atenção que a opinião dos outros nem sempre unânime nem acertada… Cada caso é um caso. Continuar a ler

Livro “A Psicologia do verbo Amar e o erradicar da Negligência”

774_a_psicologia_do_verbo_amar_capa_af-1_large

Partilho hoje convosco o mais recente livro do meu caro colega e amigo, Prof. Doutor Luis Maia – A Psicologia do verbo Amar e o erradicar da Negligência – editada pela Sinapis. Deixo-vos com a sinopse da obra e a certeza de momentos de uma agradável e proveitosa leitura. Continuar a ler